Alimentos que ajudam a manter o cérebro saudável

Uma alimentação saudável pode fazer muito bem à saúde do nosso cérebro, responsável por quase todas as funções corporais. Há evidências de que determinados alimentos podem melhorar a memória e o raciocínio, além de reduzirem o risco de doenças, como a doença de Alzheimer. A seguir, conheça seis alimentos que ajudam a manter o cérebro em pleno funcionamento.

AZEITE

Em uma pesquisa, 450 homens e mulheres, com média de idade 67 anos, consumiram uma dieta de baixo teor de gordura ou uma dieta de estilo mediterrânico – incluindo nozes e um litro de azeite virgem extra por semana – durante quatro anos. No começo e ao final da pesquisa, os participantes realizaram testes para detectar sinais de declínio cognitivo. Nos resultados, descobriu-se que as pessoas submetidas a uma dieta com pouco gordura apresentaram uma queda significativa nos escores de função cerebral, enquanto que as pessoas da outra dieta tiveram melhores pontuações.

– Dose diária: três colheres de sopa por dia de azeite extravirgem.

FRUTAS CÍTRICAS

Um estudo da Universidade de East Anglia, em Norwich (Reino Unido) revelou que mulheres que comiam laranjas ou grapefuit reduziram seu risco de derrame em 19%. Além disso, os antioxidantes presentes nas frutas cítricas atuam limitando o dano oxidativo, causador do desenvolvimento da demência, segundo Matthew Prima, pesquisador do Centro de Saúde Mental Global.

– Dose diária: uma fruta cítrica por dia (não produtos feitos a partir dela).

NOZES

Para melhorar a concentração, as nozes são indicadas. Um estudo mostrou que esse alimento melhorou o desempenho mental das pessoas que comeram uma porção de nozes todos os dias. O motivo? Nas nozes, pesquisadores encontraram compostos que estimulam a produção de uma proteína de proteção do cérebro. Além disso, pode existir outro benefício: 30g de nozes por dia reduz o risco de acidente vascular cerebral quase pela metade. Outro estudo, que contou com a participação de 15 mil mulheres de 30 anos, descobriu que as mulheres que comiam nozes cinco vezes por semana tinham uma melhor recordação e mais foco do que aquelas que evitavam comer.

– Dose diária: misture 15g de nozes, 7,5g de amêndoas e 7,5g de avelãs.

PEIXE

Quem se alimenta regularmente de peixe possui um centro de memória (que fica no lobo temporal no meio do cérebro) 14% maior do que aqueles que raramente consomem esse tipo de alimento. Grávidas e lactantes que recebem ômega-3 suficiente têm crianças com QI mais alta. Níveis elevados de ômega-3 também reduzem quase pela metade o risco de demência. Como alimento rico em vitamina D, o peixe traz outro benefício: baixos níveis dessa vitamina são associados a um aumento do risco de demência entre as pessoas.

– Dose: uma porção de peixe por semana pode retardar o aparecimento da doença de Alzheimer por dez anos.

CHOCOLATE

Um estudo recente concluiu que o chocolate pode reviver um cérebro. Segundo ele, duas xícaras de chocolate quente por dia melhoraram as habilidades de pensamento em pessoas com fluxo sanguíneo prejudicado por mais de 8%. O chocolate pode até ajudar na recuperação de um acidente vascular cerebral, conforme estudos realizados em animais. Entre outros benefícios, o chocolate ajuda a baixar a pressão arterial e proteger as células nervosas de danos.

– Dose diária: chocolate não refinado ou chocolates de alta qualidade com 70% mais sólidos de cacau.

FRUTAS VERMELHAS

Amoras, framboesas, groselhas, mirtilos, morangos, cerejas e uvas pretas e vermelhas. As frutas vermelhas possuem compostos chamados de antocianinas, que atuam sobre os vasos sanguíneos. Segundo uma pesquisa, o consumo de mirtilos pode melhorar a aprendizagem, aumentando o fluxo de sangue para a parte do cérebro que lida com a concentração, memória e atenção aos detalhes. Outro estudo apontou que eles podem ajudar a visão.

– Dose diária: uma porção de frutas (dois punhados de amoras ou framboesas, ou um punhado de uvas ou morangos, ou sete cerejas).